Make your own free website on Tripod.com

BIBLIOGRAFIA SOBRE FRIEDRICH SCHLEGEL, AUGUST SCHLEGEL E NOVALIS

Voltar à Página Inicial

 

ANDRADE, F. R. S., ANDRADE, F. S. Os aforismos explosivos de Schlegel. Folha de S.Paulo (mais!), 21/08/94. p. 11-11, 1994.

BARBOSA, Maria Aparecida. Fragmento no Romantismo Alemão, na literatura brasileira e em Borges - a partir do ensaio. Fragmentos. Florianópolis-SC, v. 18, p. 57-70, 2000.

BOLLE, Willi. Friedrich Schlegel e a estética do fragmento. Fundadores da modernidade na literatura alemã; Anais da VII Semana de Literatura Alemã. Org. Eloá Heise. São Paulo (FFLCH-USP), p. 35-45, 1994.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Sobre um monólogo de Novalis. Cadernos PUC Filosofia. São Paulo, v. 13, p. 74-81, 19?.

HEISE, Eloá. Novalis: o mundo romantizado. Fundadores da modernidade na literatura alemã; Anais da VII Semana de Literatura Alemã. Org. Eloá Heise. São Paulo (FFLCH-USP), p. 27-34, 1994.

MAAS, Wilma Patrícia Dinardo Marzari. História com sistema e revelação: a história da literatura antiga e moderna, de Friedrich Schlegel. forum deustch - Revista Brasileira de Estudos Germanísticos. Rio de Janeiro, v. 7, p. 93-105, 2003.

___. Ironia e performance no primeiro romantismo alemão. Artefilosofia. Ouro Preto, v.4, p.166-174, jan. 2008.

___. Hermenêutica e anti-hermenêutica. Friedrich Schlegel e Schleiermacher. Pandaemonium Germanicum, v. 15.1, p. 18-36, 2010.

___. Heinrich von Ofterdingen de Novalis e o mito da linguagem primordial. In: VOLOBUEF, Karin. (Org.). Mito e magia. São Paulo: Edunesp, 2011. p.25-38.

MOURA, Magali dos Santos. Com Goethe, Novalis e Rilke pela noite. In: KESTLER, Izabela Maria Furtado. (Org.). Estudos anglo-germânicos em perspectiva. Rio de Janeiro: Ed. Faculdade de Letras, 2002, p. 119-131.

OLIVEIRA, Maria Elisa de. A figura do poeta em Friedrich von Hardenberg (Novalis) e Gaston Bachelard: algumas considerações. Trans/form/ação; Revista de filosofia. São Paulo (UNESP), v. 19, p. 47-59, 1996.

RÖHL, Ruth. Os fundadores da modernidade na literatura alemã. Fundadores da modernidade na literatura alemã; Anais da VII Semana de Literatura Alemã. Org. Eloá Heise. São Paulo (FFLCH-USP), p. 9-13, 1994.

___. Apresentação: A modernidade na literatura alemã. In: CHIAMPI, Irlemar (Coord.). Fundadores da modernidade. São Paulo: Ática, 1991 (Série Temas, 25 - Estudos Literários). p. 21-25. [[As páginas 25-58 (organizadas por Ruth Röhl) trazem traduções de Novalis, Friedrich Schlegel, Georg Büchner e Friedrich Nietzsche]]

ROSENFELD, Anatol. Texto / contexto. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 1976 (Debates, 76).

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Arte, crítica e crítica como arte – acerca do conceito de crítica em F. Schlegel e Novalis. Discurso – Revista do Departamento de Filosofia da USP, São Paulo, v. 20, p. 115-136, 1993.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Paz perpétua, guerra sem fim: visões da Europa em Friedrich Schlegel e Novalis. Fórum Deutsch. Campinas, v.6, p.1-12, 2002.

SPERBER, Suzi. Introdução: Mito e magia da flor azul. In: VOLOBUEF, Karin. (Org.). Mito e magia. São Paulo: Edunesp, 2011. p.73-87.

SÜSSEKIND, Pedro. Shakespeare - o gênio original. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

VOLOBUEF, Karin. Frestas e arestas: A prosa de ficção do Romantismo na Alemanha e no Brasil. São Paulo: Edunesp, 1999. (Coleção Prismas).

___. Individualismo e sentimentalismo (Novalis e José de Alencar): duas formas de subjetividade no Romantismo. Itinerários. Araraquara (Pós-Graduação em Estudos Literários/FCL/UNESP), v. 15/16, p. 77-98, 2000.

 

 

 

Voltar à Página Inicial

 

 

 

Voltar à Página de Bibliografia sobre Literatura, Língua e História Alemã

 

Voltar à Página Inicial