Make your own free website on Tripod.com

Mestres da Pintura em países de língua alemã

 

Século XIX

Impressionismo

 

Franz von Stuck (1863-1928) – pintor e escultor bávaro. Estudou na Academia Real de Belas Artes em Munique (1881-1885), passando depois a ilustrar livros para a editora Gerlach und Schenk e a fornecer caricaturas para a revista Fliegende Blätter. Participando em 1889 da exposição no Palácio de Vidro em Munique, sua obra Wächter des Paradieses (“Guardião do Paraíso”) foi agraciada com a medalha de ouro (acompanhada de um prêmio de 60.000,- marcos). Em 1892 colaborou na fundação da "Münchener Secession" e três anos mais tarde foi nomeado professor da Academia de Belas Artes, contando-se entre seus alunos Paul Klee e Wassily Kandinsky.

Suas pinturas revelam forte inspiração literária e caracterizam-se pela tendência à sensualidade, tendo recebido influências dos pré-rafaelistas ingleses, do belga Fernand Khnopff e do simbolista suíço Arnold Böcklin. Suas obras tiveram importância decisiva para o desenvolvimento do Impressionismo na Alemanha, especialmente no que se refere ao “Jugendstil” (ou art nouveau) em Munique.

O tema da “mulher fatal” aparece em várias telas, conforme exemplificam O beijo da Esfinge, Salomé e a série intitulada Pecado.

Água e fogo

Dança de primavera -

O beijo da Esfinge - 1895

Esfinge

Inferno -

O assassino

Paraíso perdido -

Pecado 1 – 1893

Pecado 2 -

Salomé - 1906

Sensualidade -

 

 

 

Voltar