Make your own free website on Tripod.com

Disciplina de Pós-Graduação: TEXTOS PROGRAMÁTICOS DO ROMANTISMO

NÚMERO DE CRÉDITOS: 08

NÍVEL: M/D

 

Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários

UNESP – FCL/Araraquara

Docente: Profª Drª Karin Volobuef

 

 

EMENTA

A disciplina discute as idéias românticas apoiando-se em textos que contêm uma exposição do programa estético do movimento. Trata-se de textos representativos - prefácios, fragmentos, ensaios, artigos de jornal, etc. - que permitem o levantamento e contraposição das principais concepções românticas sobre literatura. Dentre os tópicos analisados a partir dessa bibliografia estão as noções de originalidade e liberdade criativa; mescla de gêneros; relação do Romantismo com o Classicismo e com a Ilustração; impulsos advindos do Pré-romantismo; Idealismo; ironia romântica. Também será analisado o valor e papel atribuído pelo romântico à natureza, nação, indivíduo, sentimento, religião, sociedade, além da sua noção de belo que inclui o feio, o heterogêneo e o grotesco. Serão lidos textos programáticos de vários autores e Romantismos, buscando-se alcançar uma visão tanto geral (do Romantismo como um todo), bem como específica (verificando diferenças e peculiaridades locais). Com o intuito de rastrear as origens do ideário romântico, a discussão eventualmente incluirá tópicos do Pré-Romantismo e Classicismo, recorrendo-se a autores como Rousseau e Friedrich Schiller. A leitura de um ou mais textos ficcionais servirá à exemplificação, elucidação e complementação do ideário extraído dos textos programáticos.

 

PROGRAMA

  1. Introdução geral ao Romantismo
  1. Condições sociais, políticas e históricas do Romantismo
  1. Textos programáticos do Romantismo alemão: Fr. Schlegel, A. W. Schlegel, Novalis
  1. Textos programáticos do Romantismo inglês: Coleridge, Wordsworth, Shelley
  1. Textos programáticos do Romantismo francês: Chateaubriand, Mme. de Staël, V. Hugo
  1. Textos programáticos do Romantismo português: Almeida Garrett, A. Herculano
  1. Textos programáticos do Romantismo brasileiro: Álvares de Azevedo, Alencar, Távora
  2. Textos programáticos do Romantismo norte-americano: E. A. Poe
  3. Análise de uma ou mais obras ficcionais românticas

 

METODOLOGIA

O cronograma da disciplina prevê 15 aulas que obedecerão a seguinte metodologia:

  • aulas expositivas
  • discussão de textos
  • apresentação de seminários pelos alunos

 

AVALIAÇÃO

A participação na disciplina exigirá dos alunos:

  • leitura dos textos a serem discutidos em classe;
  • apresentação de seminários e/ou entrega de fichamentos;
  • elaboração de um trabalho final em que é explorado um ou mais dos temas abordados

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALENCAR, José de. Benção paterna. In: ALENCAR, José de. Obra completa. Rio de Janeiro: José Aguilar, 1958, v. 1. p. 691-702.

___. Como e porque sou romancista. Campinas: Pontes, 1990.

AZEVEDO, Álvares. Prefácio à Lira dos Vinte anos. In: ___. Obras completas. 8. ed. São Paulo: Comp. Editora Nacional, 1942. Tomo 1, p. 3 e 127-129.

BABBITT, Irving. Rousseau and Romanticism. 2. ed. New York: Meridian Books, 1955.

CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira; Momentos decisivos. 6. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1981, 2 v.

CASTELLO, José Aderaldo. Antologia do ensaio literário paulista. São Paulo: Conselho Estadual de Cultura / Comissão de Literatura, 1960. (Textos e Documentos, 3).

___. Textos que interessam à história do romantismo I. São Paulo: Conselho Estadual de Cultura / Comissão de Literatura, 1961. (Textos e Documentos, 4).

___. Textos que interessam à história do romantismo II. São Paulo: Conselho Estadual de Cultura / Comissão de Literatura, 1963. (Textos e Documentos, 6).

CHIAMPI, Irlemar (Coord.). Fundadores da modernidade. São Paulo: Ática, 1991.

COUTINHO, Afrânio (Dir.). A literatura no Brasil. 3. ed. rev. e aum. Rio de Janeiro: J. Olympio; Niterói: EDUFF, 1986, v. 3.

FINCH, M. B., PEERS, E. Allison. The Origins of French Romanticism. New York: E. P. Dutton, s.d.

GARRETT, Almeida. Bosquejo da História da poesia e língua portuguesa.

GOMES, A. C., VECHI, Carlos A. A estética romântica; Textos doutrinários comentados. Trad. Mª Antônia Simões Nunes e Duílio Colombini. São Paulo: Atlas, 1992.

GUINSBURG, Jacó (org.) O romantismo. São Paulo: Perspectiva, 1978 (Coleção Stylus).

HAMANN, J. G. et al. Autores pré-românticos alemães. Trad. João Marschner, Flávio Meurer e Lily Strehler. Introd. e notas Anatol Rosenfeld. 2. ed. São Paulo: EPU, 1991.

HAUSER, Arnold. História social da Literatura e da arte. Trad. Walter H. Geenen. São Paulo: Mestre Jou, s/d. vol. 2.

HEINER, H. J. Das „Goldene Zeitalter" in der deutschen Romantik. Zur sozialpsychologischen Funktion eines Topos. ZDP. v. 91, n. 2, p. 206-234, 1972.

HERCULANO, Alexandre. Poesia: imitação, Belo, unidade. In: ___. Opúsculos. 3. ed. Lisboa: José Bastos, 1908. Tomo IX. p. 23-72.

HUGO, Victor. Do grotesco e do sublime. Trad., prefácio e notas de Célia Berretini. São Paulo: Perspectiva, 1988. (Elos, 5).

KORFF, H. A. Geist der Goethezeit. Darmstadt: Wissenschaftliche Buchgesellschaft, 1988.

LOBO, Luíza (Sel., trad. e notas). Teorias poéticas do romantismo. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1987 (Novas Perspectivas, 20).

LOPES, Hélio. A divisão das águas; Contribuição ao estudo das revistas românticas Minerva Brasiliense (1843-1845) e Guanabara (1849-1856). São Paulo: Conselho Estadual de Artes e Ciências Humanas, 1978. (Ensaio, 88).

MUECKE, Douglas Colin. Irony and the Ironic. 2. ed. London: Methuen, 1982.

NIVELLE, Armand. Frühromantische Dichtungstheorie. Berlin: Walter de Gruyter, 1970.

NOVALIS. Pólen; Fragmentos, diálogos, monólogo. Trad., apres. e notas Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo: Iluminuras, 1988. (Biblioteca Pólen).

OWEN, W. J. B. Wordsworth’s Preface to Lyrical Ballads. Copenhagen: Rosenkilde and Bagger, 1957.

PEYER, Henri. Introdução ao romantismo. 3.ed. Lisboa: Europa-América, s/d. (Saber, 94).

PINA, Álvaro (Coord. e dir.). Posições românticas na literatura inglesa. Lisboa: Livros Horizonte, 1984.

POE, E. A. The Complete Tales and Poems. New York, The Modern Library, 1938. (The Modern Library). p. 887-942.

ROSENFELD, Anatol. Aspectos do romantismo alemão. In: ___. Texto / contexto. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 1985. (Debates, 7). p. 147-171.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Prefácios. In: ___ Júlia ou A nova Heloísa. Trad. Fúlvia Moretto. São Paulo: Hucitec; Campinas: Edunicamp, 1994. p. 20-41.

SCHILLER, Friedrich. Poesia ingênua e sentimental. Trad., apres. e notas Márcio Suzuki. São Paulo: Iluminuras, 1991 (Biblioteca Pólen).

SCHLEGEL, Friedrich. Conversa sobre a poesia e outros fragmentos. Trad., pref. e notas Victor-Pierre Stirnimann. São Paulo: Iluminuras, 1994. (Biblioteca Pólen).

___. O dialeto dos fragmentos. Trad., apres. e notas Márcio Suzuki. São Paulo: Iluminuras, 1997. (Biblioteca Pólen).

SHELLEY, Percy B. Defesa da poesia. Prefácio, trad. e notas de J. Monteiro-Grillo. 3. ed. Lisboa: Guimarães Editores, 1986. (Coleção Filosofia e Ensaios).

SILVA, Antônio Joaquim Pereira da. Estudos sobre a literatura. Niterói Revista brasiliense de Ciências, Letras e Artes - Tomo 1, Nº 2. São Paulo: Academia Paulista de Letras, 1978. (Biblioteca Academia Paulista de Letras, 9). p. 214-243.

STAËL, Mme. de. De l’Allemagne.

TÁVORA, Franklin. Prefácio do autor. In: O Cabeleira. São Paulo: Três, 1973. (Obras Imortais da Nossa Literatura, 16). p. 21-29.

TIEGHEM, Paul Van. L'Ère romantique; Le romantisme dans la littérature européenne. Paris: Éditions Albin Michel, 1948.

VOLOBUEF, Karin. Frestas e arestas; A prosa de ficção do Romantismo na Alemanha e no Brasil. São Paulo: Editora da UNESP, 1999. (Prismas).

WELLEK, René. História da crítica moderna. Trad. Lívio Xavier. São Paulo: Editora Herder / Edusp, 1967. v. 2 (O Romantismo).

WIMSATT JR., William, BROOKS, Cleanth. Crítica literária; Breve História. Prefácio de Eduardo Lourenço. Trad. Ivette Centero e Armando de Morais. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1971.

 

Voltar à Página de Cursos

 

Voltar à Página Inicial