Make your own free website on Tripod.com

BIBLIOGRAFIA SOBRE FRIEDRICH DÜRRENMATT E MAX FRISCH

Voltar à Página Inicial

 

BENN-IBLER, Veronika. O entrelaçamento da Arte e da História na novela de Gottfried Keller e no romance de Max Frisch. Estudos germânicos. Belo Horizonte (UFMG), v.4, n. 1, p. 212-223, 1983. [Discussão dos gêneros “novela” e “romance” a partir da coletânea O povo de Seldwyla, de Keller, e do romance Meu nome seja Gantenbein]

BROMBERT, Victor. Em louvor de anti-heróis. Figuras e temas da moderna literatura européia 1830-1980. Tradução de José Laurenio de Melo. São Paulo: Ateliê Editorial, 2001. [[Sobre Georg Büchner, Jaroslav Hasek e Max Frisch]]

D’ONOFRIO, Salvatore. Literatura ocidental; Autores e obras fundamentais. 2. ed. São Paulo: Ática, 1997. [[Trata dos seguintes textos: A canção dos Nibelungos (p.166-175); Fausto de Goethe (p. 365-376); O processo de Kafka (p. 442-449). Analisa os seguintes autores: Brecht (p. 497-501); Dürrenmatt (p. 501-502); Peter Weiss (p. 511-513).]]

FLEISCHER, Marion et al. Textos e estudos de literatura alemã. São Paulo: Edusp/ Difusão Européia do Livro, 1968. [[Estudos sobre Thomas Mann; Friedrich Dürrenmatt; Gottfried Benn; Franz Kafka]]

GASSNER, John. Dürrenmatt: Visita de uma velha senhora. In: ___ Rumos do teatro moderno. Trad. Luzia Machado da Costa. Rio de Janeiro: Lidador, 1965, p. 346-349.

HEISE, Eloá. Dürrenmatt: o riso como arma. Projekt; Revista de cultura brasileira e alemã. São Paulo, v. 3, p. 26-27, maio 1991.

___. Paralelismo entre Dürrenmatt e Brecht. In: HEISE, Eloá (Org.) Facetas da pós-modernidade. São Paulo: DLM/FFLCH/USP, 1996 (A questão da modernidade, 2), p. 179-182.

MAGALDI, Sábato. O texto no teatro. São Paulo: Perspectiva / Edusp, 1989. (Estudos, 111). [[Trata de: Georg Büchner (Woyzeck), Bertolt Brecht (Teatro épico; Mãe Coragem; Um homem é um homem; A ópera dos três vinténs; A boa alma de Setsuan), Franz Kafka, Friedrich Dürrenmatt (A visita da velha senhora), Max Frisch (Biedermann e os incendiários), Rolf Hochhut (O vigário), Heinar Kipphardt (O caso Oppenheimer), Peter Weiss (Marat/Sade; e O interrogatório), Heiner Müller]]

PRADO, Décio de Almeida. Teatro em progresso. Crítica teatral (1955-1964). São Paulo: Livraria Martins Editora, 1964. [[Artigos sobre: Friedrich Schiller (Maria Stuart); Bertolt Brecht (A boa alma de Sezuan, Mãe Coragem, Terror e miséria no Terceiro Reich); Friedrich Dürrenmatt (A visita da velha senhora)]]

___. Exercício findo; Crítica teatral (1964-1968). São Paulo: Perspectiva, 1987. (Debates, 199). [[Comentários sobre: Andorra (Max Frisch); A ópera dos três vinténs (B. Brecht); O caso Oppenheimer (Heinar Kipphardt); O casamento do sr. Mississipi (Friedrich Dürrenmatt); Marat-Sade (Peter Weiß)]]

PUTZ, Claudia. Kunst da tun, wo sie niemand vermutet. Friedrich Dürrenmatt und der Kriminalroman. Projekt; Revista de cultura brasileira e alemã. São Paulo, v. 5, p. 34-37, dez. 1991.

ROSENFELD, Anatol. Teatro moderno. 2. ed. São Paulo: Perspectiva,1985. (Debates, 153). [[Contém artigos sobre: Wolfgang Goethe (Ifigênia em Táuride); Friedrich Schiller; Heinrich von Kleist; Hebbel (Maria Madalena); Georg Büchner; Gerhart Hauptmann; Frank Wedekind; Ivan Goll; Carl Zuckmayer; Bertolt Brecht(Teatro épico; A ópera dos três vinténs); Max Frisch (Andorra); Friedrich Dürrenmatt (A visita da velha senhora; Os físicos); Rolf Hochhut (O vigário), Heinar Kipphardt (O caso Oppenheimer), Peter Weiss (Marat/Sade). Inclui ainda um artigo chamado "Shakespeare e o romantismo"]]

___. Prismas do teatro. São Paulo: Perspectiva / Edusp; Campinas: Edunicamp, 1993. (Debates, 256). [[Os artigos que tratam da literatura em língua alemã são: "Tragédia" (conforme diz o título, o artigo trata da tragédia em geral, contudo, diversos autores alemães são abordados nos itens ‘Esboço histórico’ e ‘A tragédia burguesa’); "‘Andorra’ no Teatro Oficina" (Andorra, de Max Frisch); "Aspectos do teatro moderno" (comenta, entre outros, B. Brecht); "O teatro documentário" (sobre O vigário, de Rolf Hochhuth; O caso Oppenheimer, de Heinar Kipphardt; O interrogatório, de Peter Weiss)]]

SOETHE, Paulo Astor. Dürrenmatt: a patologia do poder e a opção pela comédia. Revista Letras. Curitiba (UFPR), v. 41-42, p. 143-163, 1992-93. [[Trata especialmente das peças A visita da velha senhora e Os físicos]]

 

 

Voltar à Página Inicial